O nosso website utiliza cookies para lhe identificar e aprimorar a sua experiência de navegação.
Alguns cookies são necessários, outros são utilitários, analíticos ou de marketing. Ao continuar navegando, você concorda com os termos da nossa Política de Cookies.

Principais sintomas e causas da rinite alérgica


Ocorrendo com mais frequência entre os 20 e 40 anos de vida, a rinite alérgica apresenta sintomas que afetam significativamente a rotina diária, interferindo no trabalho, no desempenho escolar e na qualidade do sono. Dentre todos os sintomas, o mais incômodo é a obstrução nasal, embora outras manifestações também sejam desagradáveis, como espirros em salva, coriza, vermelhidão ocular, lacrimejamento, prurido na garganta dentre outros.

Já quando falamos das causas, estamos nos referindo à exposição de fatores que dão origem a esse tipo de reação inflamatória, como é o caso dos ácaros, insetos, fungos, pólens e animais de estimação (cães e gatos). Como consequência da inflamação da mucosa, os sintomas nasais podem persistir por horas e, com isso, ela se torna mais sensível a outros estímulos, como odores fortes e outros irritantes. Além disso, é muito comum as pessoas que apresentam rinite alérgica também tenham quadro de asma e outras doenças alérgicas, como alergia na pele (dermatite atópica).

Toda rinite é igual?


Saiba como cuidar e amenizar seus sintomas.
Existem dois tipos: rinite alérgica e rinite não alérgica.
A rinite alérgica é o tipo mais comum de inflamação da mucosa do nariz, havendo estimativas de que ocorra em 43% das pessoas adultas. A alergia acontece porque nossas células de defesa reagem de uma forma desordenada e exacerbada ao alérgeno (como o pólen ou as fezes de ácaros da poeira doméstica), o que causa a inflamação da mucosa e os sintomas típicos.

Dentre os fatores que causam este quadro alérgico, encontram-se: ácaro domiciliar, pólen, animais de estimação ou outros produtos químicos.
Já quando falamos sobre a rinite não alérgica, existem outras possíveis origens além da alergia, sendo que a prevalência para as causas não alérgicas na população adulta é de 23%.
Dentre os fatores que podem causar rinite por si só, ou também piorar os sintomas em quem já tiver rinite alérgica, encontram-se: rinite infecciosa; rinite vasomotora; rinite química; rinite da gravidez e rinite induzida por hormônios, como durante a puberdade ou secundária ao hipertireoidismo; rinite induzida por medicamentos; rinite devido a outros problemas de saúde, como doenças autoimunes ou granulomatosas; fatores alimentares e rinite idiopática.

Como evitar crises de rinite?
Em suma, uma das principais medidas para evitar a crise, é o controle do ambiente. Com especial atenção na redução dos ácaros, baratas, umidade e alérgenos de animais.
Atente-se ao quarto do paciente (se está bem ventilado, ensolarado, limpo e livre de itens que possam acumular poeiras e ácaros) e evite tapetes, carpetes, cortinas e almofadas. Fique atento quanto ao mofo e umidade, verificando periodicamente as áreas úmidas de sua casa, como banheiro (cortinas plásticas do chuveiro, embaixo das pias etc.).
Para a limpeza da casa, evite o uso de vassouras, espanadores e aspiradores de pó comuns. Passe pano úmido diariamente ou use aspiradores de pó com filtros especiais 2 vezes por semana e mantenha o ambiente sempre arejado.
Tente manter o animal de estimação em um cômodo da casa. Caso for impossível restringir o acesso a uma única área da moradia, utilize purificadores de ar com filtro de alta eficiência no quarto do paciente. Procure exterminar baratas e roedores, mas evite o uso de inseticidas e produtos de limpeza com forte odor.

Hábitos do dia a dia também fazem a diferença. Evite o uso de talcos, perfumes, desodorantes, principalmente na forma de sprays. E não fume dentro da casa nem no interior do automóvel.

Já com as medidas farmacológicas, é importante limpar regularmente os orifícios nasais com solução de água salgada ou solução fisiológica, ajudando a manter o nariz livre de irritantes. Os medicamentos não curam a alergia, mas podem tratar os sintomas, sendo os mais utilizados: anti-histamínicos, descongestionantes, corticoides e imunoterapia.

Bibliografia Texto ”Principais sintomas e causas da rinite alérgica”:
Church MK, Máspero JF, Maurer M, Ryan D. The Scope of Pharmacological and Clinical Effects of Modern Antihistamines, With a Special Focus on Rupatadine: Proceedings from a Satellite Symposium held at the 21st World Allergy Congress, Buenos Aires, December 8, 2009.

World Allergy Organ J. 2010;3(4 Suppl):S1-S16. Neffen H, Mello JF Jr, Sole D, et al. Nasal allergies in the Latin American population: results from the Allergies in Latin America survey. Allergy Asthma Proc. 2010;31(Suppl 1):S9–27.

Blog da Saúde [Internet]. Saiba quais são os sintomas da rinite alérgica. 22 out. 2019.
[Acesso em 7 maio, 2020]. Disponível em: http://www.blog.saude.gov.br/zgvfbj

Wheatley LM, Togias A. Clinical practice. Allergic Rhinitis. N Engl J Med. 2015; 372(5): 456-63. Pols DH, et al. Atopic dermatitis, asthma and allergic rhinitis in general practice and the open population: a systematic review. Scand J Prim Health Care. 2016; 34(2): 143-50.

Bibliografia texto ”Toda rinite é igual?”:
West Suffolk NHS Foundation Trust. Rhinitis 2018 Set 26 [acesso em 28 abr 2020]. Disponível em: https://www.wsh.nhs.uk/CMS-Documents/Patient-leaflets/PaediatricDepartment/6441-1-Rhinitis.pdf

Quillen DM, Feller DB. Diagnosing rhinitis: allergic vs. nonallergic. Am Fam
Physician 2006; 73(9): 1583–1590.

NHS Inform. Allergic rhinitis. 2020 Fev 13 [acesso em 06 mai 2020].
Disponível em:
https://www.nhsinform.scot/illnesses-and-conditions/ears-nose-and-throat/allergic-rhinitis#causes-of-allergic-rhinitis

Sakano E, Sarinho ESC, Cruz AA, et al . IV Consenso Brasileiro sobre Rinites -
2017 [acesso em 28 abr 2020 ]. Disponível em:

https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/Consenso_Rinite_9_-27-11-2017_Final.pdf

Home Produtos
Repetabs Comprimidos Solução Gotas Creme
Dicas Rinite Alérgica Alergia de Pele Dúvidas Contato